Pilates e Esclerose Multipla Virtual

 

Pilates no tratamento da Esclerose Múltipla
Você sabia que embora a Esclerose Múltipla (EM) seja uma doença rara, atinge cerca de 2,5 milhões de pessoas no mundo e que destas, 35 mil são brasileiras?  Acomete  jovens entre 20 e 40 anos e geralmente mulheres.

Trata-se de uma doença neurológica, crônica e autoimune, ou seja, as células de defesa do organismo atacam o próprio sistema nervoso central, provocando lesões cerebrais e medulares. Isso acontece porque o sistema imunológico confunde as células saudáveis com células “intrusas” e as ataca provocando essas lesões.

A causa da doença ainda é desconhecida, e embora não tenha cura, a EM têm sido interesse de muitos estudos buscando a melhor qualidade de vida para o paciente, que pode apresentar diversos sintomas. Dentre eles, os mais comuns são fadiga e cansaço intenso, depressão, fraqueza muscular, dores articulares, distúrbios de equilíbrio, coordenação motora prejudicada, problemas na visão, tremores, alterações na fala e disfunções da bexiga e intestino.
A doença é potencialmente debilitante, gera incapacidade física e realizar as atividades do dia a dia pode se tornar um grande desafio para o indivíduo.

Com o objetivo de uma melhor qualidade de vida para o paciente, tem sido crescente o interesse por estudos que relacionam a atividade física na reabilitação e diminuição da progressão da doença .
O método pilates, criado pelo alemão Joseph Pilates, durante a primeira guerra mundial, vem se destacando pelos seus inúmeros benefícios. Consiste  num método de condicionamento físico e mental através de exercícios físicos que se baseiam na concentração, conscientização corporal, e controle motor.

Lindsay Untura *Fisioterapeuta ( UNIFAE) *Aperfeiçoamento acadêmico em Anatomia Humana (PUC minas) *Especialista em fisioterapia Oncológica ( PUC Minas) *Mestre em Qualidade de Vida e Desenvolvimento Sustentável ( UNIFAE) * Instrutora internacional de pilates (formação na Espanha) * Formação em RPG * Diretora do estúdio de pilates Lindfisio
Lindsay Untura
*Fisioterapeuta ( UNIFAE)
*Aperfeiçoamento acadêmico em Anatomia Humana (PUC minas)
*Especialista em fisioterapia Oncológica ( PUC Minas)
*Mestre em Qualidade de Vida e Desenvolvimento Sustentável ( UNIFAE)
* Instrutora internacional de pilates (formação na Espanha)
* Formação em RPG
* Diretora do estúdio de pilates Lindfisio

 

Os exercícios, que podem ser feitos tanto no solo, com acessórios como a bola e nos aparelhos criados pelo próprio alemão, podem ser adaptados de acordo com as necessidades de cada paciente. Estes exercícios, considerados de baixo impacto, são capazes de restabelecer e aumentar a força e a flexibilidade muscular, promover a melhora do equilíbrio, da respiração, da postura, da incontinência, a diminuição das dores no corpo, além de diminuir os níveis de estresse e depressão, contribuindo de forma significativa aos portadores da E.M.

 

Referências

ALMEIDA, MCE; TRINDADE CBB; MARQUES KAP, et al. Anais do V  Congresso de Educação em Saúde da Amazônia (COESA). Universidade Federal do Pará, 2016.

 

MAANDI SM; NEJAD VS; SHANAZARI Z; ZOLAKTAF V. A comparasion of 12 weeks of pilates and aquatic training on the dynamic balance of woman with multiple sclerosis. Int J Prev Med. 2013.

 

SOYSAL T M ; UZ M Z; KARA B; IDMAN E. Effects of Pilates exercises on sensory interaction, postural control and fatigue in patients with multiple sclerosis. Mult Scler Relat Disord. 2016

 

Lindsay Untura é fisioterapeuta, especialista em oncologia e mestre em Qualidade de Vida. Possui formação internacional em pilates solo e aparelhos. Atualmente trabalha com pilates tanto na prevenção quanto reabilitação de patologias do sistema neuromusculoesquelético.

Pilates na Esclerose Múltipla

Comente e ficaremos felizes