imagem antidepressivos

 

Oi gente!

 

Gosto de dividir aqui com vocês situações que marcam a minha vida com a EM.

Hoje não será diferente! No meu blog esses meses atrás, eu desabafei um pouco sobre tomar ou não antidepressivo.

Eu sempre fui muito contra, achava que me deixaria mais lenta, meio abobada. Mas no ano passado eu sofri um aborto, minha gravidez não evoluiu, nada a ver com a EM, fatalidade mesmo. Até brinquei que sou a rainha das fatalidades, estou na porcentagem que possui esclerose múltipla, na porcentagem das mulheres que perdem o bebê na primeira gravidez, sou uma moça zicada!rsrs Por mais que eu tentasse fingir ser forte, foi muito difícil lidar com o aborto, acabei aceitando conhecer o antidepressivo. Pra minha surpresa me fez muito bem. Toda a adaptação é difícil, mas em meses já estava trabalhando e renovada. Mantive ele por um ano. O médico decidiu que não precisava mais, parei. Parar é complicado viu? Meu corpo queria o remédio, mas me distraindo, tendo atividades em 3 meses não sentia mais falta dele. Foi uma experiência legal e necessária na época.

Em julho desse ano decidi parar de trabalhar, isso é assunto para outro post, ainda vou contar para vocês, mas a sensação foi de impotência, fiquei malzona gente, mas era realmente necessário. Decidi me dedicar ao blog e ao meu tratamento. No meu caso eu pude escolher isso também. Mas foi uma decisão que me abalou e foi tanto que voltei para o antidepressivo!rs Estou na fase que ele começa a me deixar bem, mas o que quero dizer para vocês sobre isso, é que cada um conhece seu corpo e sua necessidade, os remédios estão aí para nos ajudar, claro que sempre com o consentimento se um médico. Tenha atividades, se cuide, mas entenda que tem seus limites e que precisar de ajuda não é nenhum crime. O importante é que você se sinta bem!

Fico sempre à disposição gente!

Com carinho,

Marina

 

Antidrepressivos?!

Comente e ficaremos felizes